Notícias

Voltar

Com influência da safra americana, soja consolida nova queda na manhã desta 3ª feira na CBOT

29.08.2017

Na Bolsa de Chicago (CBOT), os futuros da soja iniciaram a sessão desta terça-feira (29) do lado negativo da tabela. Perto das 8h03 (horário de Brasília), as principais posições da commodity exibiam desvalorizações entre 5,25 e 6,00 pontos. O mês de novembro/17 era cotado a US$ 9,35 por bushel, enquanto o mês de janeiro/18 trabalhava a US$ 9,44 por bushel.

Conforme dados das agências internacionais, as cotações da oleaginosa permanecem pressionadas negativamente diante da perspectiva de uma grande safra norte-americana. "A turnê do Pro Farmer na semana passada confirmou o bom potencial de colheita para soja e milho, mesmo que os rendimentos estimados estejam ligeiramente abaixo dos últimos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos)", reportou a Agritel ao Agrimoney.com.

O levantamento realizado pela expedição indicou uma safra próxima de 117,8 milhões de toneladas de soja nesta temporada. No início do mês, o departamento projetou a produção americana em 119 milhões de toneladas.

Além disso, ainda no final da tarde desta segunda-feira, o USDA elevou para 61% o índice de lavouras de soja em boas ou excelentes condições no país. Em torno de 93% das plantações estão em formação de vagens. Na semana passada, o número era de 87%.

Paralelamente, o Agromoney.com reforça que os preços mais baixos podem atrair compradores. "Ainda nesta segunda-feira, os embarques semanais de soja ficaram em 716,2 mil toneladas", reportou.

Outro fator que também segue no radar dos participantes do mercado é o Furacão Harvey nos Estados Unidos. "Existe alguma preocupação de que o furacão Harvey possa causar estragos na soja e no milho na região do Delta", afirmou Benson Quinn Commodities, ao Agrimoney.com.

Fonte: Notícias Agrícolas