Notícias

Voltar

Em Iporã, produtoras se unem para a produção de fraldas

21.11.2017

Com apoio da comunidade, elas produzem 400 unidades por semana, que são doadas a pessoas necessitadas

Num mundo tão carente de boas notícias, o trabalho voluntário realizado há quase uma década por dezenas de produtoras rurais em Iporã, a 50 quilômetros de Umuarama, no noroeste paranaense, chama atenção. Toda quarta-feira à tarde, faça chuva ou sol, elas se encontram na cidade, num esforço para ajudar ao próximo: passam horas produzindo fraldas, que são doadas para quem precisa. Cada mobilização, que enche de voluntárias uma sala, resulta em pelo menos 400 unidades, doadas a 42 pessoas, entre deficientes, idosos e crianças de famílias necessitadas. A ação voluntária começou em 2009, por iniciativa das participantes do núcleo feminino mantido pela unidade local da Cocamar, com 21 produtoras. Em pouco tempo, nascia a Associação das Amigas Voluntárias de Iporã, com a adesão de mais colaboradoras.
APOIO - A presidente da entidade, Eliete Nespolo, conta que tudo foi dando certo no início e faz questão de mencionar a ajuda do então gerente da unidade da cooperativa, Alberto Cabral, do vereador Sérgio Borges e da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, que emprestou a sala. A igreja e alguns estabelecimentos fizeram doações de materiais e, por meio de rifas, a comunidade toda acabou abraçando o projeto, o que possibilitou a aquisição de uma pequena máquina. O equipamento agilizou, mas a maior parte do trabalho executado pelas produtoras ainda é manual.

Elas utilizam gabaritos para fazer cortes com tesouras e vão juntando partes com adesivos até deixar as fraldas prontas. Depois, é só ir guardando em sacos e as entregas são feitas no dia seguinte. Como a Associação já possui o título de utilidade pública, concedido pelo município, a prefeitura doa R$ 3 mil por ano. O prefeito Roberto da Silva também é voluntário e faz doações em nome de sua empresa. “Quando a gente se vê em apuros, o prefeito sempre nos socorre, ele tem sido fundamental”, diz Eliete.

FRALDAS - Toda a ajuda é importante. Quatrocentas fraldas em média, por semana, correspondem a uma produção que supera as 20 mil unidades/ano. Como as despesas não são poucas com a compra dos materiais, continuar buscando o apoio da comunidade é indispensável. Para fazer mil fraldas, segundo Eliete, são gastos R$ 870 com a compra dos itens básicos.

Com tanto entusiasmo, a Associação segue firme. A vice-presidente do núcleo feminino da Cocamar, Estael Andriato, conta que o voluntarismo, ao se tornar uma prática corriqueira entre as produtoras, contribuiu para que as participantes se sentissem mais felizes. “A quarta-feira é o dia em que elas se encontram para se dedicar ao trabalho na associação e também para conversar e fortalecer as amizades”.

DESAFIO - O desafio agora é substituir a máquina por uma mais moderna e com capacidade para ampliar a produção. De acordo com Eliete, o investimento é estimado em R$ 15 mil: “Ainda não sabemos como e quando adquiri-la, mas vamos desenvolver todos os esforços junto à comunidade para atingir esse objetivo”, promete.

Com a dedicação de suas integrantes, a Associação das Amigas Voluntárias de Iporã é considerada um exemplo de sucesso e envolvimento comunitário, apartidário e ecumênico, admirado por vários outros municípios cujas lideranças a visitam com o objetivo de implantar projeto semelhante.