Notícias

Voltar

Cocamar apoia segmento de reciclagem em Maringá

22.11.2017

Com a proposta de fomentar o desenvolvimento da prática e da organização cooperativista entre os profissionais de entidades que representam catadores, foi lançado na última terça-feira (14), durante evento em Maringá, um programa inédito de Capacitação de Empreendimento. A iniciativa da Prefeitura em parceria com as cooperativas Cocamar e Pluricoop e o Sistema Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar)/Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop)/Paraná, contou com a participação de autoridades municipais, lideranças cooperativistas e outros convidados.

PÚBLICO-ALVO - O curso de capacitação será ministrado pela Pluricoop, fundada no ano passado em Maringá, a profissionais ligados a seis cooperativas e uma associação. Os recursos, para esse fim, foram viabilizados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) no Paraná.

AUTOSSUSTENTÁVEIS - Ao pronunciar-se durante a solenidade, o vice-prefeito Edson Scabora comentou ter sido procurado pelo presidente do Conselho de Administração da Cocamar, Luiz Lourenço. Na conversa, Lourenço manifestou interesse em apoiar o poder público municipal a desenvolver esse ramo cooperativista. De acordo com Scabora, o objetivo é transformar cooperativas de catadores em empreendimentos autossustentáveis, afirmando haver “um enorme potencial” para isso. “Maringá gera cerca de 300 toneladas de lixo por dia, que, sendo melhor aproveitadas, representarão mais renda para o setor”, disse.

OPORTUNIDADE - “Transformar lixo em dinheiro é uma oportunidade que não pode ser desperdiçada”, ressaltou Luiz Lourenço, presente no evento em companhia de José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar/Sescoop/PR. Conforme Lourenço, que também é diretor da Ocepar, o desafio está lançado, lembrando que a própria Cocamar surgiu como solução para o caos em que estava mergulhado o setor cafeeiro regional, no início da década de 1960. O dirigente citou outros exemplos de cooperativas fundadas em Maringá, as quais, embora desacreditadas em seu início, tornaram-se organizações importantes em seus setores. Entre elas, a Sicredi União, hoje uma das cinco maiores cooperativas de crédito do Brasil, instituída há 32 anos, e a Unicampo, a maior no ramo de profissionais de agronomia do país, que acaba de comemorar 25 anos.

COMEÇAR BEM - José Roberto Ricken disse que o “apadrinhamento” da Cocamar ao ramo cooperativista de catadores na cidade, “é fundamental”. De acordo com ele, as 223 cooperativas de todos os ramos, no Estado, faturam R$ 75 bilhões, montante superior ao orçamento do governo estadual. “A maior empresa do Paraná, hoje, é uma cooperativa.” Ricken destacou a oportunidade para os catadores, mas deixou claro: “é preciso começar bem”: o primeiro passo é haver gente realmente interessada; o segundo, conhecer a viabilidade da iniciativa; o terceiro, que a cooperativa seja bem constituída juridicamente e, quarto, educar as pessoas. Segundo Ricken, “as pessoas não foram educadas para cooperar, mas para competir”. Ele orientou, ainda, que sejam evitadas improvisações e colocou a Ocepar, bem como a Cocamar e a Pluricoop, à disposição para ajudar no que for preciso.

BEM COMUM - A presidente da Pluricoop, Cleide Bulla, mencionou a importância da união entre o cooperativismo e o poder público “para o bem comum”, acrescentando que a capacitação vai propiciar informações para que os participantes sejam motivados a empreender e “como resultado de suas conquistas, fortalecer o setor, para o benefício de todos”.

CRESCIMENTO - Na visão de Deizieli Ramos, dirigente da Coopercentral, que representou as entidades dos catadores, “a capacitação é fundamental e levará a um crescimento”. Para o vice-presidente da Cocamar, José Cícero Aderaldo, “o rápido processo de mudanças e o surgimento de desafios, faz com que as informações fiquem defasadas rapidamente”. Por isso, “a capacitação precisa ser contínua para aproveitar e assegurar as oportunidades”. Por fim, o secretário de Meio Ambiente e Bem Estar Animal, Ederlei Alckamin, destacou a importância da iniciativa ao exaltar o engajamento de vários setores “na construção de uma realidade”.

CONTEÚDO - Ao apresentar o conteúdo do curso, a diretora-secretária da Pluricoop, Adriana Pierini, observou que os catadores “tem papel fundamental na implementação da política nacional de resíduos sólidos”. A programação, de acordo com ela, será dividida em seis módulos: Cooperativismo, Relações Interpessoais, Aspectos Legais, Finanças, Contabilidade e Planejamento.

FELICIDADE - A solenidade contou ainda com a palestra de Benedito Nunes, diretor do Instituto Movimento pela Felicidade, de Belo Horizonte (MG), que abordou o tema “Cooperativas felizes, equipes de alto desempenho”. Nunes defendeu, em resumo, que “a felicidade é um poderosíssimo instrumento de gestão que impulsiona o desempenho das empresas e os seus resultados”.


CORAL - O evento foi finalizado com uma apresentação do Coral Cocamar.