Notícias

Voltar

Valor da produção agropecuária de 2018 é estimado em R$ 516, 6 bilhões

19.02.2018

Mato Grosso supera São Paulo e passa a apresentar valor maior impactando também a região Centro-Oeste como um todo

A primeira estimativa do valor bruto da produção agropecuária (VBP) para 2018 é de R$ 516,6 bilhões, abaixo 4,9% do valor de 2017 (R$ 543,3 bilhões). As lavouras apresentam redução real de 6,2% e a pecuária, de 2,3%. Os dados foram divulgados na última sexta-feira (16) pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura. De acordo com o coordenador-geral de Estudos e Análises da SPA, José Garcia Gasques, parte dessa diferença entre as estimativas deve-se ao fato de o ano passado ter sido excepcional, tendo obtido o maior valor desde o início da série dessas informações. “Nos levantamentos realizados pela Conab, sempre foram destacadas na produção da safra anterior as condições climáticas muito favoráveis. Outro aspecto, é o fato do mês de janeiro ser ainda quase um início da safra do ano, portanto, com informações ainda incompletas”, diz ele.

Os produtos com melhor desempenho são algodão, com aumento real de 15% no valor (para R$ 21,1 bilhões), batata inglesa (11,1% para R$ 4,4 bilhões), cacau (44,5% para R$ 2 bilhões), café (5,8% para R$ 22,4 bilhões), tomate (36,1% para R$ 11,3 bilhões) e trigo (49% para R$ 3,8 bilhões).

O grupo de produtos com redução do valor da produção inclui o amendoim (-7,1% para R$ 1,2 bilhão), arroz (-16,4% para R$ 9,3 bilhões), banana (-13,1% para 9,5 bilhões), cana-de-açúcar (-13,2% para R$ 56,9 bilhões), feijão (-22,4% para R$ 6,4 bilhões), laranja (-20,4 para R$ 11,4 bilhões), milho (-13% para 42 bilhões) e uva (-24,8% para R$ 4,3 bilhões).

Gasques observa que o grupo cana, laranja e milho tiveram em 2017 resultados excepcionais, que não estão se repetindo neste ano. “Como são produtos que têm participação expressiva no VBP”, explica Gasques, a redução do valor afeta os resultados deste ano. No caso da soja o recuo é de 0,8% para R$ 118,3 bilhões, o segundo maior valor da série histórica, perdendo apenas para o ano passado.

Na pecuária, o destaque é a carne bovina com desempenho positivo (R$ 71,2 bilhões, mais 1,6%), depois de registrar durante o ano passado preços em baixa. A renda dos produtores de frango deve recuar 3,3% para R$ 47,6 bilhões. No caso do leite a queda estimada é de 6,4% para R$ 28,1 bilhões. A renda dos suinocultores cai 2,2% para R$ 15,6 bilhões. Os produtores de ovos devem ter queda de 11,7% no faturamento para R$ 9,8 bilhões.

Segundo Casques, os estados de Mato Grosso, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul representam 58% do valor da produção. Ele observa que neste ano Mato Grosso apresenta um VBP maior do que o de São Paulo. Por região do país, a liderança do VBP passa a ser ocupada pelo Centro Oeste, seguida pelo Sul, Sudeste, Nordeste e Norte.

Fonte: Revista Globo Rural