Notícias

Voltar

Na região da Cocamar, metade da safra colhida

07.03.2018

Neste período de intensificação da colheita, unidades operacionais recebem acima de 50 mil toneladas por dia

A colheita de soja já passa de 50% na média das regiões atendidas pela Cocamar Cooperativa Agroindustrial – norte e noroeste do Paraná, oeste de São Paulo e leste do Mato Grosso do Sul -, segundo relatório semanal do departamento técnico da cooperativa.

Desde a segunda quinzena de fevereiro, o movimento de caminhões é grande nas unidades operacionais. Até terça-feira (6/3), haviam sido entregues pelos produtores mais de 700 mil toneladas, para uma média superior a 50 mil toneladas/dia, lembrando que o recorde foi batido em 26 de fevereiro, quando as estruturas receberam 70.450 toneladas. A estimativa da Cocamar é finalizar a safra em cerca de 1,3 milhão de toneladas, outra quantidade histórica, contra 1,1 milhão no ciclo anterior.

REGIÕES - Os levantamentos indicam que a colheita está mais adiantada nas regiões de Maringá e no noroeste paranaense, com cerca de 70% dos trabalhos concluídos até segunda-feira (5). No norte do estado, polarizado por Londrina, aproximadamente 50% já foram colhidos e, na média dos municípios atendidos no interior paulista e sul-mato-grossense, o porcentual é de 40%.

RETA FINAL - A partir de agora, se o tempo continuar ajudando, a expectativa é que a safra entre em sua reta final e esteja concluída, na maior parte das regiões, até o final do mês.

MÉDIAS - Na Fazenda Santa Nice, da família Grisi, localizada em Amaporã (PR), onde a lavoura foi irrigada com o sistema de pivô central, a média de produtividade tem ficado ao redor de 70 sacas por hectare (169/alqueire), praticamente a mesma da safra 2016/17. Em Palmital (SP), a família Fadel, que também possui irrigação, já terminou os trabalhos, alcançando média de 61,9 sacas/hectare (150/alqueire). A colheita está presentes a começar na propriedade da família Gomes, em São Jerônimo da Serra (PR), que recebe orientação técnica da unidade local da Cocamar. A estimativa da proprietária Etiane Caldas Gomes Kruster é superar a média de produtividade de 57,8 sacas/hectare (140/alqueire) alcançada na safra 2016/17.

Segundo a área técnica, a produtividade tem apresentado variação regional, refletindo em maior ou menor intensidade os problemas climáticos enfrentados durante o ciclo da cultura.