Notícias

Voltar

Colheita de café em andamento

30.05.2018

Produtores de café da região norte e noroeste do Paraná estão efetuando a colheita do grão em meio às incertezas trazidas pela greve dos caminhoneiros, que compromete o abastecimento de óleo diesel.

Nas regiões onde o trabalho é executado manualmente, como em São Jorge do Patrocínio, na região de Umuarama, a preocupação é menor, pois as lavouras ficam próximas da cidade e não falta mão de obra. “A gente consegue tocar o serviço”, afirma Antonio Fachina, dono de uma pequena área. Mas no vizinho município de Altônia, onde há lavouras que dependem de máquina de terceiros para colher, a situação é diferente. Uma máquina colhedora de um prestador de serviços de Minas Gerais, que todo ano é trazida nesta época para o Paraná, já deveria estar operando, o que não ocorre por causa dos bloqueios dos caminhoneiros nas estradas e também pela dificuldade de fornecimento de diesel. O produtor Luiz Carlos de Faria contratou os serviços mecanizados de colheita para o período de 2 a 4 de junho e torce para que, até lá, tudo esteja normalizado. “O café está no ponto de colheita”, diz.

Em Nova Esperança, onde ainda não há colheita mecanizada, o trabalho segue normalmente. “Estamos conduzindo os trabalhos sem maiores problemas”, afirma o cafeicultor Antonio Ailton Basso. E também nas regiões onde a presença de máquinas é mais comum, como em Carlópolis, no norte pioneiro do Estado, o coordenador técnico da Cocamar, Robson Ferreira, afirma não estar havendo dificuldades neste início de colheita. “Nessa região, as máquinas são próprias e quem possui diesel estocado, está trabalhando normalmente”, conclui.