Notícias

Voltar

Chefs do Campo e a gratidão à Cocamar

22.08.2018

A importância da Cocamar na vida dos produtores e suas famílias foi avaliada por diferentes depoimentos ouvidos durante as primeiras visitas da equipe realizadora do Festival de Sabores Chefs do Campo. As visitas aconteceram nesta segunda e terça-feira (20 e 21/8) às semifinalistas da competição.

PRATOS TRADICIONAIS - Com o número recorde de 148 receitas inscritas neste ano, o Festival selecionou 15 semifinalistas para o preparo dos pratos, dos quais 5 serão escolhidos ao final de setembro por um comitê de chefs convidados. Todas as concorrentes integram núcleos femininos mantidos pela cooperativa em suas cidades e o objetivo da realização é valorizar pratos tradicionais das famílias.

SEGURANÇA - Na primeira visita, em Japurá, onde Elvira Dias Pizzani preparou uma posta branca ao molho de laranja, o marido dela, Durvalino, lembrou que sua família foi uma das primeiras, em 1976, a levar soja para o armazém graneleiro que a Cocamar acabara de construir em Jussara, a 50km. “Com a existência do armazém, a gente se sentiu seguro para investir na expansão da soja”, disse o cooperado, lembrando que após a forte geada de 1975 os produtores “ficaram meio desnorteados, sem saber o que fazer”.

APRENDIZADO - Em Jussara, a produtora Vera Lúcia dos Santos trabalha, ao lado do marido José, na pequena propriedade de 4 alqueires, onde cultivam grãos e têm um barracão de frangos. Para ela, participar do núcleo feminino – o qual integra há uma década - “é um aprendizado a cada reunião e onde a gente fortalece as amizades”. Vera recepcionou a equipe com uma moqueca à moda baiana.

PIONEIRA - A importância do núcleo feminino foi destacada, também, pela produtora Umbelina Barlati, de Floresta, na terça-feira, dia do seu aniversário de 76 anos. Ela é uma das pioneiras do primeiro núcleo criado na cooperativa, o qual foi formado no início da década passada pela iniciativa das próprias produtoras. “Esse é um trabalho que não pode terminar nunca, porque a gente se sente valorizada na cooperativa”, diz. Sua filha, Cleuza, cuidou da cozinha, onde preparou frango caipira à Made in Roça.