Notícias

Voltar

Tradição italiana numa família que adora cozinhar

09.10.2018

Misturando costumes e histórias, praticamente todo mundo tem um pé na cozinha

Nascida em Assaí (PR), onde reside, Elisângela Fávero exprime na mesa a tradição italiana de sua família, embora sua avó fosse sueca e, durante muito tempo, sua gente tenha vivido em uma propriedade rural com a família dona das terras, de origem japonesa.

Expert em lasanha, daquelas bem recheadas e tão saborosas que fica impossível não repetir, Elisângela também prepara variedades de macarrão a partir da produção da massa, que ficam ainda mais saborosas e com aquele seu toque diferenciado. A cozinha, afinal, é um reduto onde desenvolve sua arte, elaborando muitos outros pratos e doces, com receitas transmitidas pela mãe Lourdes, especialista em carnes. Da sogra Neuza ela tem assimilado muitos outros conhecimentos da concorrida gastronomia mineira, como o frango caipira com polenta, o galo frito servido empanado, o xerém (um quitute a base de quirera de milho e frango) e por aí vai.

Aliás, estamos falando de uma família de muitos mestres-cucas, na qual há sempre alguém disposto a lidar com o forno e as panelas. O sogro, Celso, se vira muito bem no fogão a lenha e um de seus quitutes mais celebrados é o mocotó. O marido de Elisângela, José Henrique da Silva, aprendeu com ela a cozinhar. E até mesmo Jonata, um de seus três filhos, que reside em Londrina, sabe muito bem manejar os temperos, aprontando pratos festejados.

O pai da produtora, Edwalter, falecido no ano passado, deixou saudades também pelo entusiasmo com que preparava um cardápio diferente e muito saboroso, segundo os familiares, que incluía sopa de cabeça de cascudo, cabeça assada de suíno, bolinho de miolos e até mesmo doce de casca de abacaxi. Por fim, de Alzira, a avó sueca, mãe de seu pai, as recordações são muitas: ela gostava de aproveitar de tudo no sítio e inventar coisas na cozinha, entre as quais os curiosos e certamente apreciados bolos de jaca e de inhame.

Da convivência com os japoneses – para os quais sua família trabalhou como meeira até se tornar dona de terras – restou o gosto pela variada alimentação oriental, rica em paladares.

Mas, como se frisou antes, o forte na casa é a influência italiana e, nesse quesito, a lasanha que mistura carne bovina e suína é o prato recorrente das reuniões em finais de semana e ocasiões especiais.Fica tão bom que, em homenagem à sua genitora, os filhos a denominaram de Lazanha da Mamãe. Aprenda a fazer.





LAZANHA DA MAMÃE



INGREDIENTES



- Banha de porco para fritar

- dentes de alho a gosto

- 1 cebola picada ou ralada

- 400g de carne suína moída

- 700g de carne bovina moída

- temperos caseiros a gosto

- chimichurri

- noz-moscada ralada

- para fazer o molho, são:

- 3 colheres de massa de tomate

- 1 colher rasa de colorau

- 2 xícaras de água para cozinhar.

- uma quantidade de presunto e muçarela para recheio.



MODO DE FAZER



Por questão de praticidade, a massa da lasanha a produtora compra pronta.



Com a banha de porco numa panela, dê uma fritada no alho e tire.Coloque cebola e a carne de porco, para fritar. Em seguida, a carne bovina. Apure e adicione os temperos caseiros. A noz-moscada vem por último, para o acabamento. Observe que a carne esteja bem apurada.



Na montagem da lasanha, são várias camadas: a primeira, na base, deve ser de molho e, a segunda, de massa, que deve ser coberta de presunto e uma camada de muçarela. Coloque molho novamente, a massa e outra camada de presunto e muçarela. Para finalizar, cubra com molho e esparrame, por cima, queijo ralado.