Notícias

Voltar

Fazer tudo no capricho é com ela mesma

10.10.2018

Produtora de Doutor Camargo elabora uma costela recheada bem ao seu modo e a receita inclui acompanhamentos tão deliciosos quanto o prato principal

Cleuza Ribeiro Fidélis, de Doutor Camargo, município da região de Maringá (PR), sabe fazer uma costela recheada com tudo do bom e do melhor, bem ao jeito dessa produtora que põe muito capricho em tudo o que faz. Detalhe é que ela se esmera tanto na cozinha que os acompanhamentos acabam ficando tão esperados quanto o prato principal.

Nascida e criada no sítio, Cleuza é casada com o produtor Carlos Altair Fidélis e mora na propriedade onde eles produzem soja e milho. Numa casa ao lado residem os sogros dela, Valente e Marlene, casados há 51 anos e que há 47 vivem no mesmo local.

Vizinhos desde a infância, Cleuza e Carlos conviveram sempre muito próximos e estudaram juntos. Estão casados há 28 anos e têm um filho que os ajuda nos trabalhos na roça. O casal se recorda que o casamento deles reuniu 200 convidados e, para acomodar bem a todos, ergueram uma barraca com eucaliptos e bambu. Em um buraco no chão, foi colocada a lenha e assaram o churrasco em espetos de bambu. Uma festa e tanto, animada por sanfoneiro e com muita fartura.

Carlos relembra que os pais mantiveram, por muitos anos, a tradição cafeeira na propriedade e diz se recordar da geada de 1975, que foi quando sua família decidiu erradicar grande parte dos pés e intensificar a mecanização. Até então, a soja era mais cultivada no meio das ruas do café. Nessa época, compraram uma colheitadeira e começaram, também, a prestar serviços. O pai é cooperado desde 1976, ano em que a Cocamar construiu o graneleiro em Doutor Camargo. Carlos associou-se à cooperativa em 1989 e, há alguns anos, buscando expandir, o produtor adquiriu terras em Mirante do Paranapanema, no vizinho Estado de São Paulo, onde também se dedica à produção de grãos.

Cleuza conta que começou a cozinhar ainda menina, com a orientação da mãe Luíza. “Sou de uma família de 11 filhos, sete dos quais mulheres”, diz. “Minha mãe fazia um torresmo maravilhoso e um bolo de fermento de padaria sem igual”, suspira.

No sítio deles há muitas culturas ao redor das casas, que servem de alimento: feijão, milho, ervilha, verduras, palmito pupunha, abóboras, mamões, cocos e frutas diversas. São coisas que, segundo a família, tornam a vida no campo um privilégio.

A produtora tem facilidade para elaborar doces – incluindo cocada, paçoca e amendoim caramelizado - e, entre muitas outras delícias que prepara para seus familiares, estão a farofa mineira (a base de bacon, calabresa, milho, ervilha, azeitonas, cebolinha, cebola, salsa e tirinhas de mandioca), o nhoque com cenoura no molho, salgados apetitosos como coxinhas, pastéis de massa cozida, torta de pizza, pães e roscas, polentas e, claro, a costela recheada. “Eu gosto mais das receitas que eu possa aprimorar, deixando do meu jeito”, completa Cleuza. O jeito dela, que é sinônimo de capricho e muito mais sabor.


COSTELA RECHEADA AO FORNO


INGREDIENTES

- 5 quilos de costela ripa desossada

- sal e alho a gosto

- 300 gramas de cenoura

- 400 gramas de bacon

- 400 gramas de calabresa

- 200 gramas de presunto

- 300 gramas de muçarela

- 1 lata de ervilha

- 1 lata de milho

- 1 pimentão (cortado em tiras)

- 1 cebola (cortada em rodelas)



MODO DE FAZER

Abra a peça de carne e tempere com sal e alho. Coloque bem espalhados por inteiro o bacon, a calabresa, a cenoura cortada, milho, ervilha, cebola, pimentão, presunto e, por último, o queijo muçarela.

Enrole como rocambole, amarre com barbante e, por fim, enrole com duas folhas de papel celofane. Deixe assar em forno baixo por 6 horas.

Acompanha arroz branco, feijão cozido na banha, farofa, maioneses, e saladas de pupunha e de ervilha com tomate. E, de sobremesa, na visita feita pelo pessoal do Festival de Sabores Chefs do Campo, ela serviu doces de abóbora e mamão, sorvete de abacaxi, cocada e mosaico de gelatina.