Notícias

Voltar

Manejo de solo com braquiária oferece benefícios

04.04.2019

Em relatório apresentado durante reunião promovida pela Cocamar com produtores cooperados de Iporã e Maringá, na quarta e quinta-feira da semana passada dias 27 e 28 de março, o pesquisador da Embrapa Soja, Henrique Debiasi, detalhou os resultados do Projeto Manejo de Solo realizado no final do ano passado em vários municípios das regiões atendidas pela cooperativa.

Debiase lembrou que se trata de um trabalho inédito, fruto de parceria entre a Cocamar e a Embrapa, que abrangeu propriedades com diferentes tipos de solo e manejo em municípios nas regiões noroeste do norte do Estado, com a finalidade de avaliar a qualidade física, química e biológica do solo e também a sua capacidade de infiltração de água.

COMPACTAÇÃO - Segundo o pesquisador, ficou mais uma vez demonstrado que a compactação é o grande problema a ser resolvido para que os produtores possam elevar suas médias de produtividade. Em alguns locais foram observados bons teores de fósforo, potássio e macronutrientes mas, em contrapartida, problemas na parte física e cobertura, incluindo também casos de acidez [falta de calcário].

Em situações assim, mesmo que chova normalmente durante todo o ciclo da lavoura, não será possível explorar o potencial genético das cultivares. Da mesma forma, se houver veranicos, como os registrados na temporada 2018/19, as perdas podem ser significativas, o mesmo ocorrendo em caso de chuvas volumosas, com o inevitável encharcamento do solo e o processo erosivo.

MANEJO - Debiase apontou, em síntese, que a solução passa, necessariamente, pelo manejo adequado, seguindo orientação técnica especializada, com a adoção de práticas como o consórcio milho x braquiária no inverno, braquiária solteira ou outros tipos de forragens que atendem as características de cada região. No caso da braquiária, o trabalho verificou que o manejo utilizando esse capim atua diretamente na melhoria do solo. “O intenso sistema radicular da braquiária rompe a compactação e produz canais que favorecem a infiltração de água”, disse. Por outro lado, observou-se a dificuldade de infiltração em solos onde não é feito um manejo correto.

SINERGIA - Reunindo técnicos da Cocamar e da Embrapa, com a participação de uma aluna de doutorado Universidade Estadual de Londrina (UEL), o trabalho resulta da sinergia que há entre aquela empresa e a Cocamar. “A ideia nasceu com o pesquisador Júlio Franchini e foi abraçada pela cooperativa, que se dispôs a custear as despesas da realização e também a indicar produtores em suas regiões, os quais abriram as portas de suas propriedades para que pudéssemos fazer as análises”, afirma Debiasi.

AVALIAÇÃO - O pesquisador explica que as análises possibilitam uma avaliação detalhada dos níveis de infiltração em vários tipos de solos, incluindo aqueles onde são conduzidos programas de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) e consórcio milho e braquiária. “Trata-se de um trabalho de grande magnitude e importância. No país, se conhece muito pouco, ainda, sobre a capacidade de infiltração de água no solo e esse trabalho, com certeza, é uma referência”, acrescenta, observando, também, que a avaliação permite diferenciar os manejos de solo que são conduzidos com qualidade.

Os trabalhos incluíram a realização do Diagnóstico Rápido de Estrutura do Solo (Dres), a coleta de solo para análises química, física e biológica e a quantificação e medição do volume de palha.