Notícias

Voltar

Alternar laranja com soja é um bom negócio

08.04.2019

Capricho é o que não falta. “Se tem que fazer, que seja bem feito”, afirma o produtor Dercides Augusto Fumagalli, cooperado da Cocamar em Nova Esperança. Tradicional produtor de laranja, em cujos pomares são visíveis a sanidade e a alta produtividade, Fumagalli está entre os que investiram, nos últimos anos, na diversificação dos negócios. Ele mantém 8,5 mil pés de laranja em franca produção no vizinho município de Atalaia e cultiva 50 alqueires (121 hectares) com soja em Nova Esperança, onde, no inverno, utiliza parte das áreas para engordar gado em pastagem de capim braquiária e milheto.

RALLY - Na quarta-feira 3 de abril, a experiência de Fumagalli, que recebe orientação técnica da agrônoma da cooperativa, Amanda Caroline Zito, foi conhecida pela caravana do Rally Cocamar de Produtividade.

CUIDADOS - A média de 3 caixas de 40,8 quilos de laranja por planta é quase duas vezes a média nacional, de 1,8 caixa/planta, resultado, segundo Fumagalli, de correção do solo, adubação nas quantidades recomendadas e um bom controle fitossanitário a cada 15 dias. Outro detalhe importante: o nível de infestação de greening, a pior doença da citricultura, que ainda não tem tratamento, é considerada irrisório nas áreas do produtor. Ele mantém pessoal treinado para identificar e erradicar imediatamente as árvores doentes, fazendo um novo plantio no lugar. Na visita à propriedade, a equipe do Rally viu o funcionário de Fumagalli arrastando, com o trator, pelo menos meia dúzia de árvores que haviam sido cortadas naquela manhã. “A gente não pode ter dó, se a árvore já está doente, não tem mais o que fazer”, diz.

Fumagalli lembra que “O custo de produção pode ser mais alto do que a média regional, mas tem valido a pena, pois com todos esses cuidados a produtividade é bem maior também”.

SEGURANÇA - Para ele, o cultivo de laranja oferece mais segurança, pois a cultura está menos vulnerável ao clima do que a soja, por exemplo. Ele contratou a produção de mudas e vai ampliar fortemente os pomares nos próximos anos, plantando 10 mil unidades em 2020 e outros 10 mil em 2021. Quanto a soja, que é cultivada em solo com baixo teor de argila (14%), no arenito, os resultados são interessantes, frutos, igualmente, de investimentos em tecnologias. Na safra recém-colhida (2018/19), muito prejudicada pelo clima, sua média atingiu 90 sacas por alqueire (37,1 sacas/hectare), mas no ano anterior (2017/18), ele alcançou 125 sacas por alqueire no geral (51,6 sacas/hectare), com pico de 140 sacas/alqueire (57,8/hectare) em um dos talhões.

REALIZAÇÃO - Já em sua reta final, o Rally Cocamar de Produtividade tem o patrocínio da Basf, Spraytec e Ford Center, com o patrocínio institucional da Cocamar TRR, Texaco Lubrificantes, Sancor Seguros, Sicredi, Estratégia Ambiental e Agrosafra, e o apoio do Cesb (Comitê Estratégico Soja Brasil), Unicampo e Aprosoja.