Notícias

Voltar

Braquiária se desenvolve nas regiões da Cocamar

22.04.2019

O capim braquiária se desenvolve bem nas regiões atendidas pela Cocamar e isto pode ser observado, por exemplo, onde é feito o consórcio com milho ou mantido programa de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF).

BENEFÍCIOS - O engenheiro agrônomo José Luiz Sossai, da equipe técnica da cooperativa, chama atenção para alguns dos principais benefícios trazidos por esse capim. Com seu intenso sistema radicular, a braquiária atua na reestruturação física, química e biológica do solo, cicla nutrientes das camadas mais profundas, rompe a camada de compactação e repõe matéria orgânica. Ao ser dessecada para possibilitar o plantio direto da lavoura de verão, a braquiária forma uma camada de palha que vai proteger o solo das chuvas fortes e da insolação, inibe o aparecimento de ervas de difícil controle e, ao reter umidade, assegura um ambiente mais propício ao desenvolvimento da lavoura.

PASTAGEM - Em integração, a braquiária é fundamental porque vai garantir, também, pastagem abundante e de qualidade no inverno, época em que os pastos tradicionais sofrem com o frio. É o caso do produtor e conselheiro José Rogério Volpato, morador em São Jorge do Ivaí, com propriedades em Ourizona e Presidente Castelo Branco, na região de Maringá.

DOIS SISTEMAS - Em 45 alqueires (108,9 hectares), Volpato implantou o sistema de integração lavoura-pecuária (ILP) e em 9 (21,7 hectares) o modelo lavoura-pecuária-floresta (ILPF), neste último com cultivos intercalados de eucaliptos para maior conforto térmico aos animais.

LOTAÇÃO - Volpato conta que começou a implantar a integração no ano passado, efetuando a semeadura de braquiária na fase pré-colheita de soja, quando esta já estava seca. E, pela primeira vez, ele está colocando bois. Já são 70 animais e sua expectativa é chegar a 300 neste período de outono/inverno. “Pela qualidade da braquiária, que está excelente, vamos ampliando a lotação animal”, afirma. Se ele chegar a 300 cabeças, como pretende, a média será de quase 2,3 cabeças por hectare – mais que o dobro da média regional, de 1 cabeça/hectare.

PREPARATIVOS - O cooperado e também conselheiro Luiz Henrique Pedroni, de Cianorte, destaca o investimento na braquiária como forma de recuperar a fertilidade do solo. Pedroni conta que está se preparando para implantar o sistema ILP em 2020 e, neste ano, vai dar foco à melhoria da qualidade do solo e a palhada em cobertura para o próximo período de verão.