Notícias

Voltar

Milho e Soja: Avaliação do relatório do USDA 12

14.06.2019

Confirmando as expectativas do mercado, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe uma correção considerável nos números do milho da nova safra norte-americana diante de todos os problemas que vêm sendo ocasionados pelas adversidades climáticas. As informações interessam diretamente aos produtores brasileiros, pelos efeitos que elas provocam ao mercado.

Safra 2019/20 - O departamento reduziu a área plantada de milho de 37,56 para 36,34 milhões de hectares naquele país. A produtividade caiu para 173,64 sacas por hectare, enquanto o número de maio era de 184,11 scs/ha. Assim, a produção também foi corrigida de 381,78 para 347,49 milhões de toneladas.

Estoques finais - O USDA reduziu também os estoques finais, de 63,12 para 45,55 milhões de toneladas, e das exportações, corrigidas de 57,79 para 54,61 milhões de toneladas.

Aqui - Para o Brasil, o número da safra foi mantido em 101 milhões de toneladas, mas os estoques subiram para 8,31 milhões. As exportações se mantiveram em 34 milhões de toneladas.

Argentina - A safra do país vizinho passou de 49 para 50 milhões de toneladas, enquanto os estoques foram corrigidos para menos e ficaram em 5,09 milhões de toneladas. As exportações foram estimadas em 33,5 milhões de toneladas, contra 32,5 milhões de maio.

Soja – Nessa cultura as correções praticamente não apareceram e os números da safra nova ficaram inalterados. A produção 2019/20 ainda foi mantida em 112,94 milhões de toneladas, com produtividade de 55,48 sacas por hectare.

Diferença - Os estoques finais norte-americanos subiram de 26,4 para 28,44 milhões de toneladas. O mercado esperava algo entre 22,45 e 36,63 milhões de toneladas, com média das expectativas de 26,86 milhões de toneladas.

Safra anterior - O USDA mexeu ainda nos estoques finais da safra velha, que ficaram em 29,12 milhões de toneladas, contra a estimativa de maio de 27,08 milhões de toneladas. Além disso, reduziram as exportações norte-americanas de 48,31 para 46,27 milhões de toneladas.

No mundo - A soja teve a produção global 2018/19 mantida em 362,08 milhões de toneladas, mas os estoques caíram para 112,8 milhões. As safras do Brasil e da Argentina foram mantidas em 117 e 56 milhões de toneladas. Já os estoques argentinos foram revisados para baixo e ficaram em 29,45 milhões de toneladas.

Chineses - Sobre a China, as importações foram mantidas em 86 milhões de toneladas, com os estoques finais corrigidos para 21,2 milhões de toneladas.

Cenário global - Sobre a safra 2019/20, o USDA subiu ligeiramente sua estimativa no cenário global que foi de 355,66 para 355,79 milhões de toneladas. Os estoques passaram de 113,09 para 112,66 milhões de toneladas.

Colheita - A produção brasileira está estimada em 123 milhões de toneladas, a da Argentina em 53 milhões. (Notícias Agrícolas)