Notícias

Voltar

Loanda recebe produtores para negócios e palestra

02.09.2019

Com a participação de 150 produtores do município e região, entre produtores rurais e pecuaristas, a unidade da Cocamar em Loanda, extremo-noroeste do estado, promoveu na quinta-feira dia 29 um Dia de Negócios e palestras com especialistas sobre Silagem e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).

CONTEÚDO - Realizado no estacionamento do Clube Japonês, o Dia de Negócios começou por volta das 9h reunindo mais de uma dezena de empresas fornecedoras de produtos veterinários, que ali se instalaram com seus estandes. E, às 11 e às 13h30, no auditório do clube, duas palestras técnicas levaram informação e possibilitaram que o público interagisse com os palestrantes.

SILAGEM - Na primeira delas, o zootecnista Paulo Tanaka, da empresa Lallemand, destacou os cuidados que os pecuaristas precisam ter ao produzir silagem. Segundo ele ressaltou, são demandados de um a dois dias nesse trabalho para que o gado tenha alimento durante meses. “Não é permitido improvisar nem usar lonas de má-qualidade para cobrir o silo, pois o barato pode sair caro.”

ILPF - Na segunda palestra, Alex Marcel Melotto, pesquisador da Sistemas de Produção Integrados e diretor-executivo da Fundação MS, de Maracaju-MS, disse que na sua região os técnicos elaboram um planejamento estratégico agronômico (Pea) que é seguido pelo produtor, com todas as diretrizes e recomendações técnicas.

SOLO - Melotto comentou que o modelo de pecuária tradicional tem vida curta devido à baixa rentabilidade. “Os custos sobem 12% ao ano e tem muito produtor que ainda não sabe que quebrou e vive de vender pedaços da própria fazenda.” Para ele, o modelo atual carece de uma reflexão, especialmente no que se refere aos cuidados com o solo. “Se o produtor perder o solo por causa da erosão, nunca mais recupera. Seu maior ativo é o solo”, frisou.

BOM NEGÓCIO - Na integração, explicou o palestrante, uma atividade complementa a outra. A agricultura reforma o pasto e a pecuária fornece o seguro agrícola para a agricultura, em forma de palhada que protege o solo. “Temos todas as tecnologias disponíveis para fazer integração”, disse Melotto, informando que na Fazenda Sucuriú, em Chapadão do Céu, a integração promoveu um aumento de produtividade de soja em 14% e uma redução de 73% no consumo de herbicida, por causa da palhada que recobre o solo.

BRAQUIÁRIA - Ele comentou também que o plantio de capim braquiária após a colheita da soja, para formar a pastagem, melhora as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo.

POTENCIAL - O gerente da unidade da Cocamar em Loanda, Natan Rafael Borges, destacou que a região apresenta grande potencial para projetos integrados, além de ser uma nova fronteira para produtores que planejam expandir os seus negócios. “Aqui a terra ainda é relativamente barata, quando comparada, por exemplo, à região de Maringá”.

EVENTOS - Segundo o gerente, o objetivo, a partir de agora, é realizar eventos técnicos para levar informação aos produtores do município, ajudando-os a se desenvolverem em seus negócios.

CONFIANTE - Atento às palestras, o produtor de grãos Maycon Mendes trocou o solo fértil de Apucarana, onde tem propriedade, pelo desafio de ser um desbravador, conduzindo um projeto de integração lavoura-pecuária no areião de Loanda, onde o teor de argila varia de 15 a 20%. Mendes está finalizando preparativos para o plantio de soja, programado para outubro, em área de pastagem dessecada. “Estou muito confiante, especialmente porque terei aqui o apoio técnico da Cocamar”, completou.