Notícias

Voltar

Tecnologia ajuda a remunerar em anos difíceis

22.09.2019

Aos 29 anos, depois de formar-se em engenharia mecatrônica, Renan Facina retornou para a propriedade da família, em Jussara (PR), onde começou a imprimir sua marca.

O Rally Cocamar de Produtividade passou por Jussara na quarta-feira (18) e conversou com Facina.

BRAQUIÁRIA – O produtor investe no cultivo de capim braquiária no outono/inverno como parte da estratégia para reestruturação e proteção do solo e se diz satisfeito com os resultados que tem observado. No subsolo, entre outros benefícios, as raízes da braquiária promovem a descompactação. Na superfície, a palhada mantém o solo fresco ao reter umidade e, também por causa da palha, que funciona como um cobertor, ervas de difícil controle vicejam menos, o que reduz a demanda por herbicidas.

“Nosso foco é elevar a produtividade”, afirma o produtor, lembrando que as oscilações climáticas têm impactado negativamente o desempenho das lavouras na região, em especial as duas últimas safras de milho de inverno e a de soja no ciclo 2018/19.

TECNOLOGIAS - Facina, que neste ano foi eleito para participar do conselho fiscal da Cocamar, conta que se apega à aplicação de tecnologias para garantir que as safras sejam remuneradoras mesmo em anos de clima desfavorável. Na safra de soja 2018/19, em que a estiagem reduziu a produtividade em 40% na região da cooperativa, sua média foi de 120 sacas por alqueire (49,5 sacas/hectare), razoável para um ano tão difícil. Sua expectativa, agora, é iniciar a semeadura da safra 2019/20 por volta do dia 5 de outubro.

O produtor, que é assistido pelo engenheiro agrônomo Kleber Brazolotto, da Cocamar, segue todas as recomendações técnicas, e diz que além do cuidado com o solo, um dos diferenciais para o sucesso na atividade está na adubação foliar. “Temos um grande caminho a percorrer”, afirma, fazendo referência a práticas sustentáveis e ao avanço tecnológico, concluindo que a agricultura, hoje em dia, é altamente seletiva.