Notícias

Voltar

Gestão feminina com amor e profissionalismo

16.03.2020

A razão social Agropecuária Rossato & Filhas, visível nos caminhões, maquinários e também nas camisetas utilizadas pela equipe de trabalho da empresa no seu dia a dia, chama atenção dos desavisados. “As pessoas geralmente estranham por se tratar apenas de filhas”, sorri a empresária rural e médica-veterinária Carla Sanches Rossato, de Sertanópolis (PR).

Uma das três filhas do casal José Roberto e Deusa, antigos moradores daquele município onde fizeram a vida com agropecuária, Carla é a única a se dedicar a esse setor entre as irmãs. Desde pequena acompanhando o pai, ela conta que tomou gosto pelo trabalho no campo e há duas décadas, após concluir os estudos, decidiu que seu lugar era dar continuidade aos empreendimentos rurais da família. “Faço o que amo e amo o que faço”, diz.

São cinco propriedades – três em Santa Mariana, uma em Sertaneja e outra em Sapopema – que totalizam 1,222 hectares. O foco é o cultivo de soja no verão e milho no inverno, mas há espaço também para a pecuária de corte. Foi em Sertaneja, na fase final da colheita, que ela recebeu a equipe do Rally Cocamar de Produtividade.

MENTALIDADE EMPRESARIAL - O marido Marco Antonio Hoffman acabou deixando a odontologia, há alguns anos, para ajudar a esposa. A equipe é enxuta: além dele, Carla conta com o apoio do sobrinho Fábio Roberto, do cunhado Fábio Scapim e de cinco funcionários.

Os negócios são conduzidos de forma empresarial, o que inclui gestão financeira e a busca constante por novas tecnologias, segundo a empresária. “Faço cálculos detalhados para chegar a um custo de produção real, o que inclui o desembolso direto com insumos e também vários custos indiretos, nem sempre considerados pelos produtores”, explica.

Para racionalizar custos, 100% das áreas são cultivadas com agricultura de precisão e Carla se baseia em modelos avançados de gestão.

INCREMENTAR - Sua expectativa de produtividade nesta safra é de 60 sacas de soja em média por hectare, um volume que vem buscando incrementar. Para isso, são selecionados materiais genéticos e a semeadura acontece na época mais adequada possível – nesta safra o período compreendeu de 23 de outubro a 3 de novembro. O maior desafio, contudo, segundo a produtora, é melhorar o perfil do solo e nesse sentido, entre outras medidas, ela decidiu adotar o cultivo de capim braquiária em consórcio com o milho de inverno. “Só não começamos em 2019 porque acabou ficando tarde”, cita. Ela sabe que entre vários outros benefícios a braquiária rompe a camada de compactação com seu enraizamento profundo, facilita a infiltração de água e deixa uma palhada que, no verão, cria condições mais favoráveis para o desenvolvimento das plantas e ainda inibe o surgimento de ervas de difícil controle.

No inverno, sua opção é pelo milho. No ano passado, foram colhidas 130,5 sacas por hectare, uma quantidade expressiva comparando com as médias da região.

Segundo Carla, a mulher tem naturalmente o seu espaço no agronegócio. “Sempre fui incentivada pelos meus pais e aprendi com eles a fazer tudo bem feito.” Ela integra um grupo de produtoras do norte do Paraná que se articula em busca de novidades, realiza viagens de conhecimento e faz gestões junto a autoridades. “Queremos somar e contribuir para o fortalecimento do setor”, conclui.

Sobre o Rally

Realizado há cinco anos, o Rally Cocamar de Produtividade tem a finalidade de valorizar as boas práticas agropecuárias. Patrocinam a iniciativa: Sicredi União PR/SP, Basf, Spraytec e Zacarias Chevrolet (principais), Elanco, Altofós Suplementos Minerais Cocamar, Sancor Seguros, Cocamar TRR e Texaco Lubrificantes, com o apoio da Aprosoja-PR, Cesb e Unicampo.