Notícias

Voltar

Celeiro da Cocamar revela promessa para o futebol

03.06.2020

Considerado um celeiro de atletas, o Centro de Formação de Futebol Cocamar (CFFC) é mantido há mais de 30 anos pela Cocamar Cooperativa Agroindustrial na sua sede em Maringá (PR).

Não dá para falar da “escolinha” – como muitos a chamam, carinhosamente – sem associá-la ao jogador mais famoso que ali despontou, o meio-campo Alex Santos, por mais de uma década ídolo no Japão, país que defendeu em duas Copas do Mundo. Alex surgiu pelas mãos do pai, o ex-lateral direito Wilson, que foi funcionário da cooperativa e o primeiro preparador dos meninos que começavam no esporte. Depois de uma rápida passagem pelo juvenil do Grêmio Maringá, ainda muito novo ele foi levado para o futebol japonês.

Ao longo dos anos, várias outras revelações alcançaram o objetivo de jogar em equipes profissionais, enquanto uma leva de jovens talentos se destaca atualmente nas bases de diversos clubes, na expectativa de realizar os seus sonhos.

Uma das mais recentes promessas é Leo Previato, lateral direito de 17 anos. Nascido em Maringá, ele participou do CFFC dos 11 aos 15 anos e, recentemente, foi selecionado pelo programa Bravo, do canal de esportes ESPN, rodado no início deste ano no Centro de Treinamentos de Sorocaba (SP). Com isso, o maringaense vai compor uma equipe que dará visibilidade a ele e a outros jovens de 16 a 19 anos em apresentações pela Espanha. A iniciativa do Grupo LX e da LaLiga visa buscar os talentos do futebol que estão escondidos pelos cantos do Brasil.

Torcedor do São Paulo, onde joga seu ídolo Daniel Alves, Leo treina intensamente para se tornar um atleta profissional de alto rendimento. “Gosto do Daniel Alves, assim como do Cristiano Ronaldo, porque eles sempre acreditam ser possível melhorar a cada dia e se dedicam muito para isso”, diz. Leo aguarda, com expectativa, o chamado para viajar com o grupo, o que deve acontecer quando passar a pandemia.

Além do seu esforço e talento, Léo conta ter recebido todo o apoio de seus familiares – o pai é bancário e a mãe professora – e o indispensável suporte oferecido pelo CFFC. “O caminho ainda é muito longo, mas estamos confiantes”, completa.

Mais de 80 iniciantes de 11 a 15 anos participam atualmente das atividades do CFFC, que conta com estrutura e equipe formada por profissionais especializados. A proposta do Centro, segundo explica a analista de Responsabilidade Social da Cocamar, Sabrina Ambrósio, “é o encaminhamento dos jovens para que realizem os seus sonhos de uma forma saudável e com disciplina, formando-os, igualmente, como cidadãos”. Uma das exigências é que, além de suas aptidões no campo, eles apresentem também um satisfatório desempenho escolar.