Notícias

Voltar

Produção de soja é sustentável na Cocamar

12.08.2020

Com as atenções e as exigências do mercado cada vez maiores em relação à sustentabilidade da produção de matérias primas destinadas às indústrias de alimentos, a soja – principal item do agro brasileiro – tem posição de destaque nesse cenário.

O grão compõe a base de um amplo leque de produtos que vão para a mesa e, por isso, se torna natural o interesse dos consumidores em conhecer a sua origem.

A Cocamar, cujos produtores associados depositaram na cooperativa o volume recorde de mais de 1,5 milhão de toneladas na última safra de verão (ciclo 2019/20), possui uma Política de Soja Sustentável que norteia todas as etapas da cadeia – desde a produção da semente, seu beneficiamento, ao manejo do solo para cultivo observando as melhores práticas preservacionistas, as orientações técnicas para o emprego de tecnologias adequadas durante a condução da lavoura, colheita, recepção nas estruturas operacionais, processamento industrial e distribuição de produtos e subprodutos ao mercado.

A Política de Soja Sustentável leva em conta o conhecimento adquirido e debatido a partir de parcerias com as principais instituições nacionais de pesquisa, que é transferido aos produtores cooperados por meio de realizações técnicas.

Para que o consumidor não familiarizado à realidade do campo possa entender melhor, a soja é produzida nas regiões sob a orientação da Cocamar, sem exploração de mão de obra e sem agressões ao meio ambiente, como desmatamento. Inseridos no Cadastro Ambiental Rural (CAR), os proprietários rurais seguem as rigorosas normas estabelecidas pelo Código Florestal Brasileiro quanto às Áreas de Preservação Permanente (APPs). Para uma exigência legal de que 20% das terras do bioma Mata Atlântica sejam ocupadas por florestamento, a média no Paraná é de 29% (percentual esse que se observa no interior das propriedades rurais), segundo o próprio CAR. Por sua vez, a prática do plantio direto – que consiste no cultivo sobre a palha da cultura anterior, a qual reveste e protege a camada superficial – é aprimorada por meio de técnicas incentivadas pela cooperativa, como o consórcio milho e capim braquiária. A proteção confere um ambiente mais propício ao desenvolvimento da lavoura, por reter umidade, enquanto o sistema radicular da braquiária contribui para romper a compactação do solo. Com tudo isso, há controle da erosão, preservando os recursos naturais.

Ainda em relação a sustentabilidade, a Cocamar é uma das pioneiras no incentivo, no Brasil, ao programa de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), uma prática pela qual pastos degradados são incorporados ao moderno sistema produtivo de grãos, soja em especial. Sem promover desflorestamento e com uma série de outros benefícios ao meio ambiente.

O reconhecimento das práticas sustentáveis desenvolvidas pela Cocamar nesse e nos demais segmentos em que atua, se deu com o ingresso da cooperativa no Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), a maior rede de sustentabilidade do planeta. A Cocamar é considerada como empresa extremamente comprometida com os 10 princípios das áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente, anticorrupção e com o progresso da Agenda 2030. Sua contribuição para a construção de um futuro melhor tem sido dos mais relevantes.