Notícias

Voltar

Cocamar vai atuar em todos os elos da Pecuária

05.10.2020

Atenta ao mercado de carnes nobres e ainda em fase experimental, a Cocamar Cooperativa Agroindustrial está dando início ao Programa Cocamar de Carne Precoce Premium, com os primeiros abates de bovinos provenientes de fazendas de seus cooperados. Desde a segunda quinzena de setembro, animais estão sendo enviados para um frigorífico parceiro da cooperativa, o Argus, localizado em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

APOIAR OS PRODUTORES - “A Cocamar tem o objetivo de atuar em todos os elos da cadeia”, afirma o superintendente de Negócios Anderson Bertolleti, ressaltando que a cooperativa pretende apoiar os produtores desde a compra dos bezerros de qualidade, à recria e terminação, prestando assistência técnica, fornecendo insumos e medicamentos e chegando ao mercado com o produto final – cortes especiais – identificado por um selo do programa.

RENTABILIDADE - “É uma oportunidade que estamos oferecendo aos nossos cooperados”, observa o superintendente de Relação com o Cooperado, Leandro Cezar Teixeira, lembrando que o principal objetivo da cooperativa é possibilitar que o produtor tenha mais rentabilidade em seu negócio.

PREMIAR A QUALIDADE - A demanda surgiu de produtores que desenvolvem o sistema de integração lavoura-pecuária (ILP) e integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) em suas propriedades e conseguiram reduzir a idade de abate de seus animais, conforme comenta o gerente executivo técnico, Renato Watanabe. Ele explica que os mesmos não estavam encontrando no mercado uma precificação adequada para animais de melhor qualidade: “Diante disso, a cooperativa decidiu também incluir o abate em seu programa, de maneira a fechar o ciclo da cadeia de produção”.

ENTENDER - Segundo Watanabe, a fase experimental de abates, em curso, é para entender melhor como funcionam as classificações e saber em que nível se encontram atualmente os produtores ligados à cooperativa para estruturar as escalas no próximo ano.

CONTENTE - O cooperado Gerson Bortoli, de Umuarama, um dos participantes do grupo de pecuaristas, fez uma avaliação positiva das primeiras semanas de experiência com o projeto. “”Fiquei contente com o atendimento e o preço dos bois”, afirmou.

BANDEIRA - Desde 1997 a Cocamar adota como uma de suas bandeiras o incentivo ao programa de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) em regiões de solos arenosos. Por esse sistema inovador e sustentável, pastagens degradadas são reformadas no verão com o cultivo de grãos, assegurando alimento em quantidade e qualidade para o gado no inverno, o que permite acelerar o ciclo do rebanho, ampliar a produtividade, gerar mais fluxo de caixa e modernizar a gestão da propriedade.

INSUMOS - Com suas operações voltadas principalmente ao recebimento de grãos, a Cocamar atende também a um grande número de pecuaristas com sua rede de lojas para a venda de produtos agropecuários nos estados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. O leque é amplo: itens veterinários em geral, ferramentaria, rações próprias e resíduos destinados à alimentação, madeira tratada, implementos e outros.

INDÚSTRIA – Ainda para garantir suporte ao setor, a Cocamar inaugurou em fevereiro deste ano uma moderna indústria de rações em Maringá, com capacidade para 150 mil toneladas/ano. O foco é apoiar os produtores na busca por alta produtividade, conforme lembra o gerente comercial de insumos do grupo pecuária da cooperativa, Pedro Leonardo Sávio. Ele acrescenta: “Oito profissionais médicos-veterinários integram a equipe que presta assessoria técnica aos produtores em nutrição animal, genética e na propriedade como um todo, almejando a maior rentabilidade por hectare”. Com isso, o produtor que tem apostado em sua atividade a partir das orientações da cooperativa, começará a colher os frutos com a produção de animais de qualidade. “Vamos fechar a cadeia absorvendo a produção e oferecendo uma remuneração acima da realidade do mercado.”

ADICIONAL – O programa compreende dois padrões de animais, oriundos de várias regiões: os derivados de cruzamento industrial de angus com nelore e os nelore precoce. Os produtores que atenderem aos quesitos desejados de carcaça, como acabamento uniforme de gordura, idade, faixa de peso e outros critérios, terão direito a um valor adicional pela arroba.

FRIGORÍFICO - Até formatar o programa, foram quase dois anos de estudos, levantamentos e a busca por parcerias. A opção pelo Frigorífico Argus se deve ao seu histórico de 65 anos e a credibilidade que possui junto ao mercado. O frigorífico vai identificar a carne e a origem dos animais abatidos com um selo, apresentando os diferenciais do produto da cooperativa.

TRANSPARÊNCIA - Para garantir escala, segundo explica o médico veterinário Luiz Henrique Garcia, da Cocamar, está sendo estruturado um grupo de produtores participantes e já há uma programação de abates experimentais semanais que deve perdurar por sessenta dias. “Contamos com um profissional fazendo a inspeção dos abates, para que haja transparência nesse processo.”

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - “Vamos padronizar os rebanhos, trabalhar apenas com animais de idade inferior a 24 meses, avaliados pela dentição, com gordura uniforme e na faixa de peso de 19 a 22 arrobas”, salienta Garcia, explicando que 90% dos animais abatidos até o momento tinham 20 meses de idade e, os restantes, 24 meses. Ele lembra que a cooperativa planeja oferecer orientação técnica qualificada para que os pecuaristas se especializem na produção de animais precoces, incluindo nutrição e sanidade, sempre atrelando isso ao fornecimento de insumos.

OPÇÕES - São oferecidas duas opções de participação aos pecuaristas: o fornecimento de 20 animais a cada 60 dias, totalizando 120 ao ano ou, a cada mês, 20 animais, somando 240/ano. Está sendo analisada a possibilidade de haver contratos para no máximo 480 cabeças/ano, por produtor. A cooperativa deverá apoiar os produtores inclusive na venda de animais não precoces para o frigorífico.

PADRÃO - “Pretendemos chegar ao nível de padronização da marca Precoce Premium Cocamar para que o consumidor, ao comprar sua carne para o churrasco no final de semana, encontre sempre o mesmo padrão de qualidade”, conclui Garcia.