Notícias

Voltar

O solo parece tudo igual, mas tem variabilidade

21.10.2020

Especialista em fertilidade do solo e nutrição de plantas, o pesquisador da Embrapa Soja, Adonis Moreira, ressalta que o solo é um sistema totalmente heterogêneo: “Quando você olha o solo em uma propriedade rural, ele parece igual em toda a área, mas não é bem assim”, afirmou ele à Concessionária Cocamar John Deere, comentando sobre agricultura de precisão.
Detalhes - Moreira explica que, invariavelmente, cada local apresenta uma característica distinta, pois há teores de argila diferentes, um nível mais baixo ou mais alto de fósforo, enfim. Em resumo: há vários detalhes que influenciam a característica do solo e o produtor precisa saber como lidar com isso.

Amostragem - “Temos várias tecnologias com as quais podemos minimizar essas diferenças, mas é preciso, primeiro, fazer um mapa de colheita para saber quais são as áreas mais produtivas e as menos produtivas da propriedade”, orienta Moreira. A partir daí, segue, é possível ter uma amostragem de solo. “O mais argiloso, por exemplo, tem maior capacidade de retenção de água, é mais vivo. Então, é bom primeiro avaliar esse tipo de solo e, posteriormente, fazer uma análise química.”

Fatores - Quando se vê o mapa de acidez no solo, há pontos mais e menos ácidos. Da mesma forma, o teor de matéria orgânica pode variar. “Essa é a variabilidade no conceito da fertilidade do solo. Há mais de 50 fatores que influenciam a produtividade”, comenta o pesquisador, exemplificando que em lugares mais quentes, a planta respira mais durante a noite, produzindo menos energia, o que diminui a produtividade. Por isso, as regiões mais altas são as mais produtivas, ao contrário das mais baixas.

Palhada - Segundo Moreira, a palhada é fundamental – e não apenas para o plantio direto. “Quanto maior o volume de palha, maior será a disponibilidade de nutrientes durante todo o ciclo da cultura”, enfatiza, mencionando que a palhada vai mineralizando com o tempo. Como a soja tem um ciclo de 120 dias, nutrientes vão ser disponibilizados pela matéria orgânica praticamente durante todo o período da cultura. “Quanto maior o volume de matéria orgânica, melhor será a qualidade do solo.”

Água - No entanto, não pode faltar umidade: Moreira explica que a maioria dos nutrientes é absorvida por fluxo de massa e, em razão disso, necessita de água para a planta absorver.
Evolução - O pesquisador lembra também que nos últimos anos a agricultura tem evoluído muito. “Dentro da inteligência artificial da agricultura, o manejo denominado agricultura de precisão possibilita ao produtor conseguir, de uma forma adequada, aplicar o fertilizante na quantidade certa, no local certo e no momento certo.” Se consegue, igualmente, fazer uma calagem mais bem feita, economizando recursos.

Eficiência - Antes o produtor fazia uma amostragem aleatória e utilizava uma quantidade fixa de calcário ou fertilizante. “Hoje não, ele tem uma taxa variável e muda”, observando que o mapa de colheita é a resposta da eficiência da aplicação do fertilizante, feita com taxa variável.