Notícias

Voltar

Palestra com Lu Dorini encanta produtoras

09.03.2021

A transmissão promovida na manhã de segunda-feira (8) pela Cocamar com a palestrante Luciana Kele Dorini, reuniu mais de 200 participantes de núcleos femininos da cooperativa, entre cooperadas e esposas de produtores associados.

Crescer - Não foi só uma palestra motivacional. Com o tema Florescer, a iniciativa fez parte da programação comemorativa ao Dia Internacional da Mulher e Lu Dorini – como se apresenta - falou sobre o desafio de conviver com um hemangioma e fazer de suas dificuldades um propósito para crescer como mulher e motivar as pessoas.

O que é - O hemangioma é caracterizado pelo acúmulo anormal de vasos sanguíneos na pele ou em órgãos internos. Segundo especialistas, em média, 30% desse tipo de ocorrência estão presentes já no nascimento e o restante se manifesta nos primeiros meses de vida.

Não parou - Contabilista, 41 anos, moradora em Mangueirinha (PR), Lu Dorini tem sido convidada a levar sua experiência para públicos diversos. Antes da pandemia, fazia isso de forma presencial e, de um ano para cá, trabalhando em casa, não deixou de proferir palestras – ainda que remotamente, como com as produtoras da Cocamar.

Sem limites - Ela disse que até os 19 anos já havia se submetido a 19 cirurgias, das quais uma apenas de caráter estético. “As outras foram para me manter viva”, citou, acrescentando que o hemangioma jamais limitou suas atividades. “Não há barreiras e isto se aplica também a mulher, que deve desabrochar e florescer, independente da sua idade.” Sua determinação tem sido tamanha que, por várias vezes, viajou o país e o exterior. “Por que eu não poderia ir?”, indagou. Autora do livro “Entre Ondas de Emoção”, ela já concedeu entrevistas para publicações importantes, inclusive de fora do Brasil.

Tem que querer - Para ela, além de determinação, é preciso que a pessoa seja otimista, resiliente, interessada e engajada, que busque o empoderamento e relacionamentos positivos.

Identificação - A reação de várias produtoras participantes foi de entusiasmo e admiração por Lu Dorini e sua trajetória de vida. Eliete Nespolo, de Iporã (PR), disse que se identificou muito com o tema da palestra, pois também tem procurado se superar a cada dia. “Em situações adversas é que geralmente encontro ainda mais forças para dar a volta por cima”, completou.

Adesão - De acordo com a analista de cooperativismo, Juliana Guerra, o desafio em tempos de pandemia, com a impossibilidade de realizar eventos presenciais, é manter as ações destinadas ao quadro social, incluindo as mulheres. “Com essa homenagem tivemos uma grande adesão do público feminino, participando e interagindo. Foi muito emocionante, com muitos depoimentos inspiradores”, ressaltou, completando: “a palestrante é um exemplo de vida e realmente fez as mulheres florescerem".