Notícias

Voltar

Qualidade do rebanho garante mais rendimento e troféu a cooperado da Cocamar

31.03.2021

Desde janeiro participando do Programa de Carne Precoce Premium da Cocamar, o produtor Epaminondas de Camargo, vinculado à unidade da cooperativa em Nova Fátima, região de Londrina, recebeu na manhã de segunda-feira (29) um reconhecimento pelo melhor lote de animais do trimestre.

Critérios - O troféu entregue ao proprietário na Fazenda Santa Lúcia em Congoinhas pelo médico-veterinário da Cocamar, Luiz Henrique Garcia Abreu, atestou que os animais atenderam integralmente aos critérios exigidos pelo programa. Eram 100% F1 angus com gordura uniforme, todos “dente de leite” (super precoces), pesando entre 18 e 22 arrobas e, desde janeiro, já foram fornecidos 300 exemplares.

Acompanhando - O Rally Cocamar de Produtividade acompanhou a visita do médico-veterinário, que coincidiu com o embarque de mais 22 unidades para abate no Frigorífico Argus, em São José dos Pinhais, parceiro da cooperativa. Diversificado em seus negócios, Epaminondas de Camargo é também produtor de café em Nova Fátima e cultiva soja em integração com pecuária na fazenda em Congoinhas.

Grande estrutura - É na Fazenda Santa Lúcia, de 500 alqueires (1.250 hectares), que Camargo faz a engorda de animais trazidos de uma outra propriedade, naquele mesmo município, sendo essa última especializada em cria. Além de fazer o melhoramento da raça angus, Camargo também é produtor de gado nelore e compra bezerros para engorda, possuindo uma grande estrutura de confinamento.
Integração - Somando as duas áreas, são cerca de 6 mil animais, dos quais 1,5 mil alojados na Santa Lúcia. Já na soja, a média de produtividade obtida na safra 2020/21, que acabou de ser colhida, foi de 190 sacas por alqueire (78,5/hectare), uma das melhores da região. A lavoura é cultivada em palha de capim braquiária e, no inverno, para fazer rotação, parte das terras são destinadas ao plantio de milho e trigo - incluindo a variedade branqueadora que tem o incentivo da Cocamar.

Sucesso - De acordo com Camargo, que tem 84 anos e durante grande parte de sua vida foi empresário do ramo de concessionária de veículos em São Paulo, tendo adquirido as fazendas no Paraná durante a década de 1980, alguns fatores explicam seu sucesso na atividade rural. “Eu sempre procurei me inspirar em pessoas bem sucedidas”, diz ele, que soube também, com seu empreendedorismo, montar uma equipe qualificada. “Os méritos são de todos”, afirma. Para ele, é preciso gostar do que se faz e “quem se preocupa apenas com o lado financeiro não dá certo na vida”.

Capricho e profissionalismo - Há mais de 20 anos prestando serviços a Camargo, o médico-veterinário Alexandre Gatti conta que proprietário “é caprichoso e receptivo a inovações, sempre interessado em aprimorar a qualidade de seus rebanhos e também as tecnologias de produção”. Os animais permanecem por dez meses a pasto antes da terminação, no confinamento, que tem a duração de cerca de 100 dias, onde são alimentados com silagem de grão úmido, farelo de soja e um premix .

Rendimento maior - Sobre participar do Programa de Carne Precoce Premium da Cocamar, Camargo diz ter sido uma decisão acertada, pois a cooperativa trabalha com transparência “e paga realmente quanto o boi vale”. Enquanto, por exemplo, a média de rendimento de carcaça para animais do padrão que ele fornece geralmente vinha sendo de 54% no mercado, no programa da Cocamar o percentual pode chegar a 56%.

Exigências - Regularidade, pelo menos um lote abatido a cada 60 dias: essa é uma das exigências do programa, conforme explica o médico-veterinário Luiz Henrique Garcia Abreu, da cooperativa. Além disso, o pecuarista interessado em participar precisa estar adequado em relação a idade, faixa de peso, acabamento de carcaça e trabalhar com as raças angus e/ou nelore.

Mercado em expansão - "Nosso foco é trabalhar com animais da raça angus, um mercado de qualidade em crescimento, que vem ganhando espaço entre os consumidores. Os pecuaristas dispostos a investir em qualidade estão aumentando sua rentabilidade através do programa, recebendo um bônus sobre o valor da arroba dos animais abatidos", detalha Abreu.

Alta qualidade - A carne diferenciada vem também da maneira como o rebanho é manejado, sem agressividade. Abreu lembra que o programa começou em novembro do ano passado com a oferta de 100 cabeças/mês, quantidade que foi crescendo para as atuais 500. A meta, em breve, é chegar a 1000 cabeças abatidas por mês, média de 250 por semana.

Selo - A carne é colocada em segmentos de mercado pelo próprio Frigorífico Argus, identificada com um selo do programa da Cocamar.

Sobre o Rally

Em sua sexta edição, o Rally Cocamar de Produtividade acompanha o ciclo da soja do pré-plantio à colheita e tem como patrocinadores: Basf, Fertilizantes Viridian, Fairfax do Brasil Seguros Corporativos, Sicredi União PR/SP e Zacarias Chevrolet (principais), Cocamar Máquinas, Texaco Lubrificantes, Cocamar Irrigação, Estratégia Ambiental, Zoetis e Nutrição Animal Cocamar (institucionais). A realização conta com o apoio da Aprosoja/PR, Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) e Cooperativa Unicampo.