Notícias

Voltar

Incentivo à irrigação atende anseio do noroeste

06.05.2021

A irrigação da lavoura é a saída para contornar as recorrentes oscilações do clima. Entra ano, sai ano, o trabalho do produtor é prejudicado, invariavelmente, por falta de chuvas em momentos críticos do desenvolvimento das culturas, situação que afeta a produtividade e causa prejuízos financeiros.

Estiagem - A presente safra de milho de inverno é um exemplo disso. Após a colheita da soja – que sofreu com o déficit hídrico no início e na fase final do ciclo – a longa estiagem, de mais de 50 dias em algumas regiões, ocasiona danos irreversíveis.

Incentivos - Em um cenário assim, o anúncio feito pelo governo do estado, no último dia 27, de proporcionar incentivos à irrigação, reforça o trabalho da Cocamar que há anos vem procurando sensibilizar seus cooperados a investirem em uma estrutura para assegurar umidade às lavouras e mais estabilidade à produção.

ICMS - Durante o lançamento do Banco do Agricultor Paranaense, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior anunciou a isenção de ICMS, principal tributo estadual, sobre equipamentos, máquinas, aparelhos, dispositivos e instrumentos de irrigação.

Noroeste - “Temos um compromisso com o noroeste do estado para a irrigação. Vamos isentar de impostos os produtos destinados a essa área”, disse o governador.

Manejo da água - O secretário de Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, destacou que o Paraná tem apenas 1% da produção irrigada. “A ideia é usar água do jeito correto. Reduzimos os riscos e aumentamos a produtividade. Estávamos planejando um programa específico, especialmente para a região do Arenito Caiuá, os 107 municípios com terras de solos frágeis e muita areia”, disse. “Vamos isentar o ICMS sobre as duas grandes categorias, incluindo o pivô central”.

Apoio da Cocamar - Ele também destacou que essa estratégia se soma à cobertura permanente do solo e renovação de pastagem, além de favorecer a fruticultura, importante segmento do agronegócio paranaense. O estado conta com apoio consultivo da Cocamar, que já desenvolve projetos similares na região noroeste.

Crédito - A medida se soma a uma das linhas de crédito para irrigação do Banco do Agricultor Paranaense. Há subvenção para financiamento de até R$ 850 mil. Nesse caso, os agricultores familiares, de forma geral, e os médios e grandes produtores da região do Arenito Caiuá (noroeste) poderão equalizar até 3% de taxas de juros ao ano. Para médios e grandes produtores até 2%.

Equalização - Até 31 de dezembro de 2022, numa regra de transição, a equalização da taxa de juros será de 100% (juro zero) se os recursos forem do crédito rural e equalização de até 5 pontos para financiamento com recursos livres dos bancos. Serão beneficiados projetos para a produção de grãos, pastagens, forragens, mandioca, café, frutícolas, flores e olerícolas.