Bem-Vindo, ao Jornal Cocamar!

Ataque de cigarrinha desafia produtor de milho

Considerada uma das pragas mais vorazes da agricultura, a cigarrinha do milho (Dalbulus maidis) é o único inseto-vetor dos molicutes espiroplasma e fitoplasma, causador do enfezamento-pálido e o enfezamento-vermelho nas plantas, que se alimenta e se reproduz somente no milho.

Eliminação – O gerente técnico da Cocamar, Rafael Furlanetto, detalha que uma das principais medidas para manejo da praga é a eliminação total das plantas de milho tiguera. “Após a colheita do milho inverno, algumas espigas acabam ficando no solo, tornando-se plantas voluntárias que servirão de hospedeiras para multiplicação da cigarrinha. É fundamental a erradicação destas plantas”, explica.

Preocupante – A disseminação da cigarrinha do milho nos campos paranaenses, inclusive nas regiões atendidas pela Cocamar, é preocupante. Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Embrapa Milho e Sorgo e da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) os danos mais graves são registrados em plantações semeadas precocemente, no início da janela, a partir de 10 de janeiro, e nas lavouras tardias, plantadas entre o fim de fevereiro e o início de março.

Cedo e tarde – “Aparentemente, as cigarrinhas que estavam nas áreas de milho verão e na silagem, migraram para as primeiras lavouras de milho safrinha. Na principal janela de plantio, como a área plantada era maior, houve uma diluição dos insetos infectados. Quando passou esse período, as cigarrinhas voltaram a se concentrar na área plantada tardiamente”, explica Luciano Viana Costa, pesquisador de fitopatologia da Embrapa Milho e Sorgo.

Várias aplicações – Outro fator que realça a preocupação é que os prejuízos estão ocorrendo mesmo com os produtores tendo feito sua parte. Segundo a Adapar e os próprios agricultores, foram constatados ataques em áreas com aplicações de inseticidas e tratamento de sementes. “Já na germinação, em fevereiro, tinha lavouras com duas ou três cigarrinhas por cartucho de milho. É muita coisa”, observa Anderson Lemiska, fiscal agropecuário da Adapar. “O controle foi feito. Tem lavoura com oito aplicações: quatro para percevejos e quatro para cigarrinha.

Cultura importante – O Paraná responde por 14,8% da produção nacional de milho na safra 2021/22. O cereal é cultivado em uma área próxima de 3 milhões de hectares, considerando-se a primeira e a segunda safras. Com grande importância econômica para o estado, o milho é o segundo produto vegetal com maior Valor Bruto de Produção (VBP) e com exportações que ultrapassam os US$ 183 milhões.

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on telegram
Share on tumblr
gdpr-image
Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao usar este site você concorda com nossos Política de Proteção de Dados.

Links Úteis

Institucional

SOCIEDADE RURAL DO PARANÁ
www.srp.com.br
 
GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ
 
BNDES
 
FLAMMA

Bioenergia / Turismo

RETUR (REDE DE TURISMO REGIONAL)
www.retur.com.br
 

Agricultura

 
SECRETARIA DE AGRICULTURA
E ABASTECIMENTO (SEAB)
 
EMATER

Central de Atendimento

Contato: André Bacarin

    Acesse o mapa para ver nossa localização