Bem-Vindo, ao Jornal Cocamar!

Rally foi conhecer Escola técnica de Assaí (PR) que capacita filhos de produtores

Fundada há sete anos em Assaí, município de 14 mil habitantes da região metropolitana de Londrina, no norte do Paraná, uma escola técnica mostra ser possível, por meio de parcerias público-privadas, preparar os filhos de produtores rurais para que participem da gestão dos negócios familiares e, no futuro, sejam superadas de forma mais natural eventuais dificuldades no processo sucessório. O Rally Cocamar de Produtividade foi conhecer a instituição que é referência no estado.

Carro-chefe – Com cerca de 800 alunos, dos quais 50% ligados à agricultura em oito municípios da região, o Centro Estadual de Educação Profissional Maria Lydia Cescato Bomtempo oferece cinco cursos de ensino médio, sendo o de Agronegócio o carro-chefe, reunindo 350 estudantes em turmas pela manhã e à noite.

Empreender – Sob o lema “empreendedorismo e inovação na educação”, a escola mantém parcerias com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e organizações como a Cocamar Cooperativa Agroindustrial, conforme explica o diretor Aquiles Fernandes. “Buscamos despertar o empreendedorismo entre os alunos”, pontua, salientando que, com o Sebrae, a instituição obteve um salto de qualidade, sintonizada à realidade regional, essencialmente agrícola, e apta a atender uma de suas principais demandas: a capacitação.

Disciplinas – Em suma, quem se matricula em Agronegócio tem como objetivo qualificar-se para o mercado de trabalho, chegar a uma universidade ou ajudar a família a desenvolver o seu negócio, o que tem sido bastante comum. Para isso, os estudos contemplam gestão e administração rural, toda a cadeia produtiva vegetal e animal, marketing e outras disciplinas afins. São três anos de duração do curso, pela manhã, com estudantes da faixa entre 14 a 18 anos, e um ano e meio à noite, com alunos de 18 a 65 anos. “Temos vários produtores frequentando as aulas no horário noturno”, observa Fernandes.

Hackatons – Para a instituição, parcerias como a Cocamar não são apenas para que os alunos encontrem, futuramente, oportunidades de trabalho. Com a cooperativa já foram promovidas duas edições de hackatons, maratonas em que grupos de estudantes, utilizando recursos digitais, competiram sob o desafio de apresentar soluções para aprimorar o atendimento aos produtores.

Inovação – Além disso, uma visita em 2019 de professores e alunos à sede da Cocamar em Maringá, acabou resultando na criação de um espaço de inovação dentro da escola, chamado de FabLab. “Nosso interesse é estreitar cada vez mais os laços com a instituição pela sua importância para o desenvolvimento das famílias de produtores da região”, afirma o gerente da unidade local da cooperativa, Gustavo Severiano.

Em destaque – “Queremos ser desafiados, isto nos motiva”, frisa o diretor, lembrando que a escola tem tradição de participar de hackatons durante a ExpoLondrina, uma das principais feiras agropecuárias do país, sempre conquistando premiações. A instituição, a propósito, é uma das realizadoras da Expotec, exposição tecnológica anual de Assaí, já programada para os dias 28 e 29 de outubro, em que são apresentados projetos inovadores desenvolvidos pelos alunos. Há alguns anos, os visitantes da Expotec conheceram, entre várias outras inovações, uma cadeira de rodas movida por voz e uma estufa cujas operações eram acionadas pelo celular.

Na cidade – Com a Prefeitura, a parceria tem rendido muito frutos, cita Fernandes. No período natalino de 2021, por exemplo, os alunos de todos os cursos se empenharam em desenvolver a decoração das vias públicas da cidade a um custo três vezes menor em comparação ao orçamento recebido de uma empresa. A instituição também participa da instalação de uma incubadora com o poder público e um comitê gestor, trabalha na implantação de um viveiro municipal em área de 7 mil metros quadrados e que vai ganhar neste ano uma praça inteiramente sustentável, destinada ao lazer dos moradores e também para servir de estudos, em frente ao estabelecimento.

Trabalho social – Entre outras atividades, com sua tecnologia, por contar com uma impressora 3D, a escola se prestou, ainda, a realizar um trabalho social durante os momentos mais críticos da pandemia em 2020 e 2021, em que imprimiu e forneceu a entidades de Londrina, a 45 quilômetros, 700 “máscaras-escudo”.

Modernizar – Duas estudantes do último ano de Agronegócio, Natasha Akemi e Giovana Rodrigues Borges, ambas de 17 anos, que residem na propriedade rural com suas famílias, estão se preparando para ingressar na universidade e, ao mesmo tempo, se capacitando para começar a ajudá-las na gestão. “Meu objetivo é apoiar minha família a se desenvolver na atividade, pois são muitos os desafios”, diz Akemi.

Nova linguagem – Um desses desafios é o avanço da digitalização na agricultura, que requer o constante aprimoramento dos produtores para lidar, por exemplo, com os maquinários. Giovana é uma das três filhas do casal Márcio e Josy, produtores de soja, milho e trigo numa área de 85 hectares em Assaí. Márcio diz apostar nos estudos que a filha vem fazendo na escola técnica, para ajudar a ele e a esposa a se manterem atualizados a respeito dessa nova linguagem que se impõe rapidamente no campo, a partir das ferramentas digitais, que os jovens têm mais facilidade em assimilar e utilizar. “O curso técnico nos capacita justamente para isso”, afirma Giovana.

Ser alguém – “Quando o aluno ingressa em nossa instituição, ele está determinado em ser alguém”, comenta o coordenador do curso de Agronegócio, Fábio Ikeda, frisando que, durante as aulas é trabalhado intensamente junto às turmas a questão do empreendedorismo, como já foi dito. “Os estudantes saem aptos a ajudar seus familiares a modernizarem a gestão do negócio”, destaca.

Cursos – Além de Agronegócio, o Centro Estadual de Educação Profissional Maria Lydia Cescato Bomtempo mantém os cursos de Eletroeletrônica, Edificações, Mecânica Industrial e, mais recentemente, passou a contar também com Desenvolvimento de Sistemas. Para 2023 está previsto o início de Agroecologia.

Sobre o Rally – O Rally Cocamar de Produtividade, em sua sétima edição consecutiva, conta com o patrocínio das seguintes empresas: Basf, Fairfax do Brasil – Seguros Corporativos, Fertilizantes Viridian, Zacarias Chevrolet e Sicredi União PR/SP (principais), Cocamar Máquinas, Lubrificantes Texaco, Estratégia Ambiental e Irrigação Cocamar (institucionais), com apoio da Aprosoja/PR, Cesb e Unicampo.

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on telegram
Share on tumblr

Artigos Relacionados

gdpr-image
Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao usar este site você concorda com nossos Política de Proteção de Dados.

Links Úteis

Institucional

SOCIEDADE RURAL DO PARANÁ
www.srp.com.br
 
GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ
 
BNDES
 
FLAMMA

Bioenergia / Turismo

RETUR (REDE DE TURISMO REGIONAL)
www.retur.com.br
 

Agricultura

 
SECRETARIA DE AGRICULTURA
E ABASTECIMENTO (SEAB)
 
EMATER

Central de Atendimento

Contato: André Bacarin

    Acesse o mapa para ver nossa localização